Sobre a empresa

 

A Espace.NET é uma empresa focada na área de telecomunicações e informatica.Onde atuamos com instalações de redes CAT6, fibra óptica, redes estruturadas e certificadas,CFTV, manutenções predial e empresarial.

IP

Nossa missão

 

* Nossa missão é oferecer as melhores soluções e projetos na área de cabeamento estruturado de redes e tecnologia para administração e e gestão de negócios visando sempre a geração de resultados à valores ao nosso cliente.

Nosso lema:

Seu sucesso é o nosso!

Escritório

Nosso escrtório se localiza em Itaquera - SP  Capital

Rua; Victório Santim
Número: 2.310
Vila Carmosina

Telefones:(011) 2522 - 5580 / 99710 - 8908

 

antispam.br 

 

 

 

 

EspaceNET .........:::Software tem que ser legal::::..........

telecomunicações e informática LTDA. 

 

1. O que é pirataria de software? Por que eu deveria me preocupar com isso?

A pirataria de software é a cópia, reprodução, uso ou fabricação não autorizada de produto(s) de software protegido(s) por leis e tratados de direito autoral internacionais e nacionais. Em média, para cada cópia licenciada de software em uso, é feita pelo menos uma cópia não autorizada ou "pirata". Em alguns países, são feitas até 99 cópias não autorizadas para cada cópia licenciada em uso. A pirataria de software prejudica todos na comunidade de software, inclusive você, o usuário final. A pirataria resulta em preços mais altos para usuários licenciados devidamente, níveis reduzidos de suporte técnico, financiamento e no desenvolvimento de novos produtos, o que deteriora a qualidade e nível do software.

A pirataria prejudica todos fabricantes de software, independentemente do seu tamanho. Os criadores de software investem anos de pesquisa e desenvolvimento. Uma quantidade significativa do dinheiro que você gasta na compra de software original é revertida para a criação e pesquisa de produtos de software melhores e mais avançados. Quando você compra um software pirata, seu dinheiro vai diretamente para o bolso dos piratas.

A venda de menor quantidade de software legítimo resulta em menor arrecadação de impostos e menor quantidade de empregos. A pirataria de software impede o desenvolvimento de comunidades de programadores locais. Se os produtores de software não podem vender seus produtos no mercado legal, não terão nenhum incentivo para continuar a desenvolver produtos de software. Muitos produtores de software simplesmente não entrarão em mercados onde as taxas de pirataria são elevadas, pois eles podem não recuperar os custos de desenvolvimento.

2. Existem muitos tipos diferentes de pirataria de software? Algum tipo de pirataria é menos prejudicial que outro?

Existem cinco formas básicas de pirataria e todas são igualmente prejudiciais aos produtores de software e aos usuários finais. Os cinco tipos básicos de pirataria de software são:

Cópia do usuário final (individual): esse tipo de pirataria ocorre quando são feitas cópias extras de um programa dentro de uma organização para uso entre seus funcionários. A troca de discos entre amigos e associados fora de um ambiente comercial também está incluída nessa categoria.

Instalação no disco rígido: Alguns vendedores e distribuidores de computadores instalam cópias de software não autorizadas nos discos rígidos (HD) dos computadores oferecidos para incentivar os usuários finais a comprarem seus computadores.

Falsificação: É a duplicação e venda ilegal do software protegido por direitos autorais, freqüentemente de forma que o produto pareça legítimo. A falsificação de software pode ser muito sofisticada, incluir réplicas de embalagem, os logotipos e as técnicas contra falsificação, como holografias. Ela também pode ser grosseira, consistindo de rótulos de má qualidade ou escritas à mão, com discos embalados em sacos plásticos e vendidos fora dos canais de varejo convencionais. Uma tendência recente da falsificação é o surgimento de CD-ROMs de coletânea, onde vários programas não autorizados dos produtores de software são colocados em um CD-ROM. De qualquer forma, a falsificação de software é muito prejudicial ao desenvolvedor de software e aos usuários finais legítimos.

On-line: Esta forma de pirataria ocorre quando um software protegido por direitos autorais é transferido eletronicamente a usuários conectados através de um modem a uma BBS ou à Internet, sem permissão expressa do proprietário dos direitos autorais. Este ato não deve ser confundido com o compartilhamento de software de domínio público ou fornecimento de "shareware". O shareware é um software que pode ou não ser protegido por direitos autorais, mas geralmente é oferecido por um valor muito pequeno ou mesmo gratuitamente pelo autor para ser usado praticamente sem restrições, incluindo a cópia e o compartilhamento com terceiros. A Microsoft distribui produtos promocionais, software gratuitos, atualizações ou aperfeiçoamentos através de BBSs ou de serviços on-line que podem ou não ser licenciados, para serem usados unicamente com produtos Microsoft licenciados. Você deve verificar o EULA que acompanha o produto para determinar como ele pode ser usado.

Uso incorreto da licença. Esta forma de pirataria ocorre quando o software com direitos autorais não é distribuído pelos canais legítimos ou quando o produto é usado de maneiras não permitidas no contrato de licença de uso. Os exemplos incluem:
Uso incorreto de produto acadêmico. Ocorre quando um produto fabricado, licenciado e comercializado especificamente para distribuição para instituições educacionais e estudantes a preços reduzidos é desviado para os canais comerciais de distribuição normais. Normalmente, esse produto contém uma etiqueta indicando que é um produto acadêmico e deve ser usado apenas por instituições educacionais.

Uso incorreto de produto NFR (Não-comercializável). Novamente, esse é um produto que foi devidamente marcado como "Não-comercializável" e é normalmente distribuído como promoção ou amostra, mas não foi licenciado para distribuição e uso comercial normal.

Produto independente OEM. Esse tipo de uso incorreto da licença ocorre quando um software de versão OEM é separado do sistema de computador para o qual se destina e é distribuído como um produto "independente". Como exposto na pergunta n.º 27, o contrato da Microsoft com os fabricantes de computador proíbe que eles distribuam produtos Microsoft dessa forma, isto é, sem o hardware do PC. Os produtos Microsoft nas prateleiras nunca devem conter uma frase na capa do Guia do usuário dizendo "Para distribuição apenas com hardware de PC novo".

Licenciamento em volume. Permite que as organizações adquiram os direitos de copiar e usar software Microsoft específicos com contratos modificados para o número de produtos necessários em uma organização. Esses programas de volume oferecem uma grande série de produtos e de opções de licenciamento e reduzem as despesas administrativas e os custos de gerenciamento de software. A Microsoft oferece três tipos de licença para volume:
Select - oferece economia para organizações médias e grandes que têm requisitos de volume significativo através da previsão das necessidades de software por um período de dois anos.

Enterprise Agreement - Com base no contrato Microsoft Select, o Enterprise Agreement é um programa de licenciamento desenvolvido para atender às necessidades de clientes que já estão comprometidos a padronizar sua plataforma com produtos Microsoft (Office ou Office Professional, Windows ou Windows 2000 Professional e BackOffice Cal) e que desejam obter um relacionamento comercial mais estratégico com a Microsoft.

Open - oferece economia para organizações pequenas e médias para um número de licenças tão pequeno como 5 licenças de um determinado software, com um processo de compra simples.

O uso incorreto do licenciamento em volume ocorre quando uma organização copia um software adquirido através do programa de volume para mais máquinas do que o especificado em seu contrato de licença. Outras violações ocorrem quando uma organização permite o uso simultâneo de software.

3. Se eu violar o contrato de licença da Microsoft fazendo cópias não autorizadas ou adicionais do meu software, meu contrato de licença será cancelado?

A política atual da Microsoft com relação a tais violações é que somente as cópias não autorizadas são ilegais, e a licença original permanece intacta até que a Microsoft decida. A Microsoft não aprova qualquer forma de violação do contrato de licença, independentemente do alcance da violação, e tomará todas as medidas cabíveis para impedir as violações do contrato de licença.

4. Como posso ter certeza de que tenho produtos Microsoft legítimos se eles vierem pré-instalados no disco rígido do meu computador?

A Microsoft licencia vários fabricantes de sistemas de computadores pessoais para que pré-instalem produtos de sistemas operacionais diretamente nos discos rígidos de seus computadores, software OEM (Original Equipment Manufacturers). Em alguns casos, os fabricantes de computadores também são licenciados para que pré-instalem produtos de aplicativos específicos no disco rígido.

Para os produtos Microsoft, os fabricantes de computadores devem incluir em seus computadores um Contrato de Licença de Usuário Final (EULA), um cartão de registro da Microsoft e, para os produtos de sistemas e para a maioria dos produtos de aplicativos, um Certificado de Autenticidade. Se eles estiverem ausentes, é provável que os produtos não sejam licenciados. Na maioria dos casos, os fabricantes de computadores também incluirão o(s) guia(s) do(s) produto(s) e um conjunto de discos do(s) produto(s) ou um CD-ROM.

5. Como posso identificar um software Microsoft ilegal?

Há vários sinais que o alertarão se os software pré-instalados no disco rígido ou disponíveis nas lojas forem ilegais. Por exemplo, a Microsoft licencia legalmente o Windows 98, entre outros produtos, para que os fabricantes de computadores os incluam em seus PCs. Entretanto, o contrato da Microsoft com os fabricantes de computadores proíbe que eles distribuam produtos Microsoft por conta própria, sem o hardware do PC. Os produtos Microsoft nas lojas nunca devem incluir uma linha na capa do Guia do usuário dizendo "Para distribuição apenas com hardware de PC novo".

Outros sinais de software ilegais incluem:

Preços "muito bons para ser verdade".

Ausência do Contrato de Licença de Usuário Final (EULA).

Nenhum Certificado de Autenticidade para os produtos que acompanham o hardware de PC novo.

Nenhum cartão de registro do produto.

Nenhum formulário para ser preenchido (como cartão de resposta comercial) para os disquetes de backup e/ou guias do software pré-instalado em um computador novo.

Nenhum disco de backup, guia, cartão de registro, EULA e/ou Certificado de Autenticidade contendo recursos contra pirataria para software de sistemas pré-instalados que inclua um produto embalado dentro da caixa do computador. Os produtos embalados devem conter todos esses elementos.

Os discos de backup que a loja ou o fornecedor do computador ofereceu contém etiquetas escritas à mão, não estão embalados apropriadamente e/ou parecem ser de qualidade inferior.

Quando você solicita os guias que acompanham o software instalado no PC, a loja ou o fornecedor do computador não os fornece, mas sugere que você compre um livro de outra fonte que o ensine a usar os software.

O(s) guia(s) que a loja ou o fornecedor do computador oferece são fotocopiados, não estão embalados apropriadamente e/ou são de má qualidade.

A pessoa que vendeu o computador oferece-se para instalar o software gratuitamente ou por uma pequena taxa no momento em que você compra o computador, sem fornecer as embalagens do software.

As atualizações ou produtos completos disponíveis na loja não contém recursos de segurança (inclusive uma etiqueta do Certificado de Autenticidade para todos os produtos de varejo da Microsoft).

O produto do sistema operacional (inclusive os software Microsoft MS-DOS, Windows, Windows 98/ME, Windows 2000 Professional e Windows 2000 Server) que você adquiriu na loja sem comprar também um hardware de PC novo contém uma linha na capa do Guia do usuário que diz: "Para venda apenas com hardware de PC novo".

6. O que devo fazer se suspeitar que adquiri um ou mais software Microsoft ilegais sem saber?

A primeira coisa a ser feita é devolver o produto para quem o forneceu e solicitar a substituição por um produto legítimo ou que lhe entreguem uma prova de que o produto que você adquiriu é legal. Se o fornecedor recusar-se a ajudá-lo, peça seu dinheiro de volta e encontre um revendedor legítimo, que fornecerá produtos Microsoft licenciados legalmente.

Se o fornecedor recusar-se a reembolsá-lo, denuncie suas ações ao PROCON local ou use a linha de denúncias antipirataria para informar o ocorrido.

Qualquer consumidor ou revendedor que tenha dúvidas sobre a legalidade dos produtos Microsoft deve entrar em contato com a Microsoft por correio eletrônico no endereço pirata@microsoft.com , ou entrar em contato com a linha telefônica especial de combate à pirataria 000811-0043-314.

7. Acho que adquiri cópias ilegais de produtos Microsoft e de produtos de diversos outros produtores de software; a quem devo contatar para obter ajuda?

Para maiores informações sobre a legitimidade de produtos Microsoft, ou dúvidas quanto à pirataria, entre em contato com a Linha Especial Antipirataria 000811-0043-314, via email para pirata@microsoft.com, ou com a:

Associação Brasileira das Empresas de Software - ABES
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1766 - 3º andar - cj. 33
01452-001 São Paulo - SP
Tel: (0xx11) 3816-1185 Fax: (0xx11) 3097-8288

Telepirata da ABES (esclarecimentos e denúncias)
Tel: 0800-110039


© 2001 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados. Nota Legal.

Perguntas frequentes sobre pirataria

Gerenciando e auditando o software de sua empresa

Como legalizar seus softwares?